A história do café em São Paulo

A história do estado de São Paulo se mistura com a história do café no mundo. O grão foi inserido como cultura no país, no final do século XIX e começou pelo norte do Brasil. Depois disso, se estabeleceu principalmente no Sul e Sudeste brasileiro, dando muito certo, devido principalmente ao clima e a geografia montanhosa. Inserido nesse contexto, São Paulo foi o estado que mais teve estabelecida a cultura do café, tornando um lugar extremamente desenvolvido em pouco tempo. A capital São Paulo por exemplo, passou do nono maior município do país até então, para o primeiro lugar e uma das mais importantes metrópoles da América Latina, em um espaço curto de tempo.

Café e imigração

Estima-se que na época do cultivo cafeeiro em São Paulo, cerca de 4 milhões imigrantes desembarcaram para trabalhar nos campos paulistas, a maioria vindo de países europeus. Mas também, muito negros escravizados foram forçados a trabalhar no plantio e colheita do grão negro, que explorando o trabalho escravo, conseguiu gerar tremendas fortunas para os senhores de fazenda. Naqueles anos, o café era um dos grandes desejos mundiais, sendo o Brasil o maior exportador do grão em escala mundial, tornando os fazendeiros brasileiros capazes de ditar as regras e os preços das sacas a serem exportadas para o restante do mundo.

Conheça a história do café em São Paulo.

Riqueza e desenvolvimento

Juntamente com o acúmulo de riquezas, veio o desenvolvimento do estado e principalmente da capital, que leva o mesmo nome. A cidade de São Paulo passou a ser a cidade mais rica do país, recebendo gigantescos investimentos em empreendimentos, prédios luxuosos, museus, teatros pomposos, ruas, parques e muito mais. Certamente todas esses investimentos eram baseados em um estilo de vida europeu, regado do que era consumido e realizado pela aristocracia européia daqueles tempos. Assim, surgiu em SP alguns museus que até hoje estão de pé na cidade, como a Pinacoteca do Estado, o Teatro Municipal também foi projetado pelos senhores de café, tendo a maior parte de sua estrutura importado da Europa.

A fim de receber todas essas importações para o desenvolvimento da capital, os barões do café passaram a também investir em melhores infraestruturas de apoio e que ficavam localizadas em outros municípios, como: uma extensa malha ferroviária, a expansão do grandioso porto de Santos e outros exemplos mais. A partir desses momentos, também é possível notar o surgimento de várias cidades próximas(outras não tanto) da capital, que cresceram e se desenvolveram maravilhosamente.

Entenda de onde surgiu o comércio do café em São Paulo.

Declínio e ressureição

Em 1929 aconteceu uma grave crise econômica mundial, conhecida como a quebra da bolsa de Nova Iorque e que afetou como efeito cascada toda a economia de vários outros países. Nesse período as exportações de café sofreram um grave impacto, tendo caído demasiadamente sua comercialização e após algum tempo, chegou em um nível insustentável, colocando a nível de falência várias famílias tradicionais da indústria do grão mais pedido do mundo. O comérico cafeeiro depois desse fato caiu bastante e perdeu muito da força que um dia teve, mas muitos anos depois, chegando até os dias de hoje, o Brasil mostra que se recuperou do que aconteceu há décadas passadas e novamente é um dos principais países exportadores e comercializadores mundiais do grão negro.